sábado, 8 de Dezembro de 2014

 

O legado de Mandela mantém-se vivo na África do Sul?

Não tenho bem a certeza de que o legado de Mandela se mantenha vivo na África do SuL É indiscutível que o estado de coisas no pais está melhor do que na época da vigência do apartheid: a população negra vê agora os seus direitos reconhecidos; as classes média e alta são agora compostas por muitos mais negros, que vivem em igualdade de circunstâncias com os brancos; os padrões de vida, em geral, subiram muito. Mas é inegável o clima de insegurança que se vive no país, com especial incidência da corrupção e dos crimes de ódio e violação. O extremismo prolifera, portanto, e não me parece que tenham sido esses os ensinamentos de Mandela, o homem que impediu a violência de uma guerra civil.
Susana Soares, 06/02/2014

Só em termos teóricos, isto é, só na medida em que o apartheid foi derrubado e a população negra tem agora uma hipótese de viver com dignidade lado a lado com a população branca. Mas o extremismo do Governo do ANC, em aliança com o Partido Comunista Sul-Africano, está em oposição ao exemplo de concertação dado por Mandela no pós-1994. A instigação para a prática de assassínios em massa de sul-africanos brancos (e até de certas minorias negras) é frequente, protagonizada até por altos responsáveis do Governo, e as violações, homicídios e corrupção caminham a par e passo com o desemprego, a crescente pobreza de parcelas da população e o flagelo da Sida. Perante este cenário, pergunto eu: onde se denota aqui o legado de Mandela?
Joaquim Morais, 06/02/2014

Infelizmente, não. Dificilmente voltará a haver na política daquele país - e no mundo, provavelmente - uma personalidade como a de Nelson Mandela, que soube ver "the big picture" e, ao renunciar à vingança, conseguiu lançar as fundações para um dos mais desenvolvidos (em todos os sentidos) países daquele continente. Os casos de corrupção no ANC, aliás, a sua quase total hegemonia na vida política daquele país, leva a temer pelo futuro da África do Sul.
Nuno Simões, 04/02/2014